LINHA EDITORIAL | EDIÇÕES ANTERIORES | EXPEDIENTE | NORMAS DE PUBLICAÇÃO | CONTATO 

 HISTÓRIA | SÉRIE ANTIGA

 
 
VOLUME 2, NÚMERO 3 - DEZEMBRO DE 2016
 
 

DOWNLOAD DA
EDIÇÃO COMPLETA


REVISTA HÉLADE
ISSN: 1518-2541
ANO 2, VOLUME 2, NÚMERO 3
DEZEMBRO DE 2016.

 

A responsabilidade pelas opiniões emitidas, pelas informações e ideias divulgadas são exclusivas dos próprios autores.

 

EDITORES
Alexandre Santos de Moraes
Adriene Baron Tacla
Alexandre Carneiro C. Lima

ASSISTENTES DE EDIÇÃO
 Thaís Rodrigues dos Santos
Geovani dos Santos Canuto

CONSELHO EDITORIAL
Ana Livia Bomfim Vieira
Ana Teresa Marques Gonçalves
Claudia Beltrão da Rosa
Fábio Faversani
Fábio de Souza Lessa
 Gilvan Ventura da Silva
 José Antônio Dabdab Trabulsi
Maria Beatriz Borba Florenzano
Monica Selvatici
Pedro Paulo de Abreu Funari

CONSELHO CONSULTIVO
Álvaro Alfredo Bragança Júnior
Alvaro Hashizume Allegrette
Antonio Brancaglion Júnior
Andrés Zarankin
Barry Cunliffe
Elaine Hirata
Elif Keser Kayaalp
Fábio Duarte Joly
João Lupi
Luciane Munhoz de Omena
Lynette G. Mitchell
Márcia Severina Vasques
Maria Aparecida de Oliveira Silva
Margarida Maria de Carvalho
Maria Cristina N. Kormikiari Passos
Maria de Fátima Sousa e Silva
Maria Isabel d’Agostino Fleming
Philipp W. Stockhammer
Renata Senna Garraffoni
Violaine Sebillotte Cuchet
Wolfgang Meid

EDITORIAL

Desnaturalizar a experiência humana: homoerotismo e Antiguidade Clássica
Prof. Dr. Alexandre Santos de Moraes
Prof. Dr. Anderson Martins Esteves
 
DOSSIÊ - HOMOEROTISMO NA ANTIGUIDADE
Dover, Kilmer, Mazel: historiografia essencialista do homoerotismo grego
Dover, Kilmer, Mazel: essencialist historiography of Greek Homoeroticism
Prof. Dr. Daniel Barbo

Resumo: Este artigo faz uma análise do modo essencialista com que os historiadores Kenneth Dover, Martin Kilmer e Jacques Mazel abordaram o homoerotismo grego numa época posterior ao evento de Stonewall (1969).
Palavras-chave:
Homoerotismo Grego; Historiografia; Dover; Kilmer; Mazel.

Abstract: This article analyzes the essentialist mode in which the historians Kenneth Dover, Martin Kilmer and Jacques Mazel approached Greek homoeroticism in a time after the Stonewall event (1969).
Keywords: Greek Homoeroticism, Historiography, Dover, Kilmer, Mazel.

A prática sexual homoerótica em contextos artísticos: duas representações em Plínio, o Jovem
The sexual homoerotic practice in artistic occasions: two figures in Pliny, The Younger
Prof. Doutorando Lucas Amaya

Resumo: As cartas de Plínio o Jovem nos mostram uma percepção muito ampla sobre a sociedade romana, ainda que normalmente Plínio pouco nos informe sobre sua vida privada. Podemos observar sobre o cotidiano latino tanto as opiniões do autor das cartas e por vezes também de seus amigos, já que Plínio em diversas oportunidades cita indiretamente algo a que vai responder e deixa transparecer opiniões das quais vem a divergir. Um destes pontos críticos é sobre a representação e atividade sexual entre dois homens, que Plínio aborda de maneira distinta conforme o enquadramento artístico, único meio em que trata do assunto explicitamente: ora falando da normalidade da dança lasciva de atores efeminados, ora do fundamental papel do amor homoerótico na poesia lírica.
Palavras-chave:
Homoerotismo; Plínio, o Jovem; Epistolografia; Poesia amorosa, Cinaedi.

Abstract: The letters from Pliny, the Younger, show us a wide view on roman society, even if Pliny usually doesn’t talk about his private life. We can perceive the roman everyday in the thoughts of the letters writer or in the friends of him, once Pliny in many opportunities quotes indirectly something he’s answering and shows the ways of thinking he’s disagreeing. One of this specific themes is about sexual practice and portrayal involving two men, theme which Pliny approaches from different ways according to the artistic perception, as this is the only way that he talks about it: now descanting the normality on lascivious dances from effeminate actors, now the main role of homoerotic love on lyric poetry.
Keywords: Homoerotism; Pliny the younger; Epistolography; Love Poetry; Cinaidi.

Homoerotismo masculino na período clássico: uma análise da relação entre hybris e pederastia ateniense em Platão e em Xenofonte
The male homoeroticism in the classic period: an annalysis upon the relation between hybris and athenian pederasty over Plato and Xenophon
Profa. Dra. Luana Neres de Sousa

Resumo: O relacionamento homoerótico masculino realizado entre os atenienses do período clássico, conhecido como pederastia, se constitui em um objeto de destaque em pesquisas cujo recorte se fundamenta no envolvimento entre indivíduos do mesmo sexo na Antiguidade. Tal notoriedade se deve pelo considerável número de registros deste convívio em textos de autores clássicos como, por exemplo, os de Platão e de Xenofonte, cada qual com seu estilo e seu ponto de vista. Através da apreciação desses escritos, é possível identificar os envolvidos e a faixa etária dos mesmos, os locais propícios para os encontros e os diversos objetivos que circundavam tal relação, delimitando a noção que um cidadão ateniense do período poderia ter acerca da pederastia. O objetivo deste artigo é analisar o modo como Platão e Xenofonte se utilizam em suas obras de personagens detentores de desmesuras e de excessos para delinear o que para eles, respectivamente, eram comportamentos reprováveis e que não deveriam ser praticados pelos envolvidos no relacionamento pederástico.
Palavras-chave:
pederastia; Hybris; Homoerotismo; Platão; Xenofonte.

Abstract: The male homoerotic relationship performed among athenians in the classic period, known as pederasty, presents itself as a featured object in researches whose approaches are fundamented over the involvement of same sex individuals at ancient times. Such notoriety is based upon the remarkable amount of living together records of ancient classic authors, such as Plato and Xenophon, each one with its own style and point of view. Through the appreciation of this writings, it is possible to identify the involved ones and their age groups, suitable locations for their gatherings and the diversified objectives that circled such relation, limiting the notion that an athenian citizen of the mentioned period could have about pederasty. The objective of this article is to analyse the way how Plato and Xenophon used in their works about characters that detained outbursts and excesses in their behavior , in a way for making possible to set limits about what for them, respectively, were reprehensible behaviors and should not be practiced by the involved ones in the pederastic relationship.
Keywords: pederasty; hybris; homoeroticism; Plato; Xenophon.

O que é o amor platônico? Uma resposta a partir da relação erótica entre Sócrates e Alcibíades no Simpósio de Platão
What is platonic love? An answer from the erotic relationship between Socrates and Alcibiades in Plato's Symposium
Prof. Ms. Felipe Gustavo Soares da Silva
Resumo: O amor em Platão ao contrário do que é normalmente concebido pelo senso comum, como abstrato e imaginário, tem um aspecto amplo e bastante prático. O presente trabalho aborda a concepção de amor platônico para mostrar a partir da experiência filosófica vivida por Sócrates e Alcebíades descrita no Banquete de Platão, como o amor representava na antiguidade uma prática educativa que envolvia duas pessoas.
Palavras-chave: Amor Platônico; Paideia; Pedagogia.
Abstract: The love in Plato contrary to what is usually conceived by common sense, as abstract and imaginary, has a large and very practical aspect. The present work approach the concept of platonic love to show from the philosophical experience lived by Socrates and Alcibiades described in Plato’s Symposium, how love were represented in antiquity an educational practice involving two people.
Keywords: Mudança religiosa, Análise de rede, Império Romano.

TEMA LIVRE
A concepção de deus no De Providentia de Sêneca
The conception of god in De Providentia of Seneca
Prof. Mestrando Cesar Luiz Jerce da Costa Junior
Prof. Dr. Renan Frighetto

Resumo: O presente trabalho aborda a concepção de deus construída por Sêneca em tratado De providentia, redigido pelo filósofo com a finalidade de demonstrar a necessidade de haver de um deus que rege o universo e, por consequência, que participa na formação ética do próprio homem. Para isso, além do De providentia, utilizaremos brevemente em nossa análise outros textos do filósofo para mostrar a articulação existente entre os conceitos de deus, natureza, Fortuna e virtude, assim como os desdobramentos possíveis da teologia senequiana.
Palavras-chave:
Sêneca; De providentia; deus; universo; ética.

Abstract: This paper discusses the conception of God elaborated by Seneca in his treatise De providentia, written by the philosopher in order to demonstrate the necessity of a God who rules the universe and, therefore, involved in the ethical education of the mankind. For this, besides the De providentia, we will use briefly in our analysis other texts of the philosopher to show the relationship between the concepts of god, nature, Fortune and virtue, and the possible consequences of the theology of Seneca as well.
Keywords:
Seneca; De providentia; god; universe; ethics.

Ditirambo: culto e louvor a Dioniso
Prof. Dr. Flávio Ribeiro de Oliveira
Profa. Mestranda Lidiana Garcia Geraldo

Resumo: O presente artigo visa investigar as manifestações do ditirambo, canto ritual dionisíaco, no contexto das celebrações religiosas desempenhadas, principalmente, no culto de Dioniso. Por mais que as origens do culto dionisíaco, na Hélade, sejam muito remotas e se refiram a práticas rituais milenares, começamos o nosso delineamento das relações entre o culto de Dioniso e o ditirambo com o fragmento de Arquíloco de Paros (fr. 120 West), século VII a.C., que contém o primeiro testemunho desse hino cultual dionisíaco. Além disso, propomos apresentar o caráter da performance ditirâmbica em Atenas, no século V a.C., onde o ditirambo se constituiu num hino cantado em contextos religiosos dionisíacos, mas cuja temática não versava exclusivamente sobre Dioniso, e, sim, principalmente, sobre temas épicos. Portanto, pretendemos apresentar as relações do ditirambo com o universo dionisíaco, evidenciando os meios de ritualização e de representação dessa performance no contexto da religião dionisíaca, sobretudo, nos festivais atenienses de adoração ao deus.
Palavras-chave:
Ditirambo; religião dionisíaca; Dioniso; dionisismo.

Abstract: This article aims to investigate the manifestations of the dithyramb, Dionysian ritual song, in the context of the religious celebrations performed especially in the Dionysus’ cult. Although the origins of the Dionysian cult, in Hellas, are very remote and relate to millenary ritual practices, we began our delineating of the relations between the cult of Dionysus and the dithyramb with the fragment by Archilochus from Paros (fr. 120 West), seventh century B.C., which contains the first testimony of this Dionysian cultic hymn. Furthermore, we propose to present the character of the dithyrambic performance in Athens, in the fifth century B.C., where the dithyramb was a hymn sung in dionysian religious contexts, but whose thematic was not related exclusively to Dionysus, but especially to epic themes. Therefore, we intend to present the dithyramb’s relations with the Dionysian universe, evidencing the means of ritualization and representation of this performance in the context of Dionysian religion, especially, in the Athenian festivals of worship to the god.
Keywords:
Dithyramb; Dionysian religion; Dionysus; dionysism.

Identidade ateniense e etnicidade: o discurso no Íon de Eurípides
Athenian identity and Ethnicity: discourse in Euripides' Ion
Profa. Doutoranda Renata Cardoso de Sousa

Resumo: Objetivamos nesse artigo compreender como a valorização da identidade ateniense dentro da tragédia se constitui num aspecto da definição de suas fronteiras étnicas, bem como numa afirmação do potencial dessa pólis. Para isso, utilizaremos a tragédia Íon, de Eurípides, como documentação.
Palavras-chave:
Eurípides; Íon; tragédia; Atenas; etnicidade.

Abstract: Our aim in this article is to understand how the valorization of athenian identity in the tragedy becomes an aspect which defines this polis’s ethnic boundaries, as well as its potential. To accomplish this aim, we will analyze Ion, a tragedy by Euripides.
Keywords:
Euripides; Ion; tragedy; Athens; ethnicity.

A representação de peixes e animais marinhos nos pratos de cerâmica áticos do IV século a.C.: consumo e alimentação
Profa. Dra. Ana Livia Bomfim Vieira

Resumo: Este artigo objetiva pensar sobre o consumo de peixe e animais marinhos em Atenas no século IV a.C. Para isso, analisaremos as representações destes animais que aparecem nos pratos de cerâmica ática de figuras vermelhas. A partir da observação destas representações, podemos compreender quais as espécies mais consumidas e associar seu consumo aos grupos sociais que formavam a pólis.
Palavras-chave:
Atenas; alimentação; peixe

Résumè: Cet article a le but de réfléchir à la consommation de poissons et animaux marins à Athènes au IVème siècle avant J.-C. Pour ce faire, nous allons analyser les représentations de ces animaux qui apparaissent dans les plats de céramique, à figures rouges. À partir de l’observation de ces représentations, nous pouvons comprendre ce que sont les espèces les plus consommées et associer leur consommation à des groupes sociaux qui ont formé la polis.
Mots-clés:
Athènes; alimentation; poisson.

Um Conto de Duas Cidades: ensaio sobre a mobilização para a guerra na Atenas Clássica e na Paris da Primeira Guerra Mundial
A Tale of Two Cities: an essay about the mobilization to the war in ancient Athens and in the Paris of the World War One
Prof. Dr. Guilherme Moerbeck

Resumo: Este ensaio definitivamente é um pastiche, envolve reflexões cruzadas que tive durante o mestrado, doutorado e por ocasião de um convite para uma mesa redonda no Museu Naval do Rio de Janeiro, que concernia aos cem anos da Primeira Guerra Mundial. Na primeira parte, discutirei aspectos gerais sobre os combates bélicos, com ênfase nos processos de identificação étnica e como esse elemento se constitui como catalizador para as formas de mobilização para a guerra. Na segunda parte, focarei os problemas relativos à apropriação, no mundo contemporâneo, de uma ideologia heroica antiga acerca da guerra que foi expressa, sobretudo, em certos círculos alemães nos anos que antecederam a Primeira Guerra Mundial; foi o que chamei de latência do heroico. Na terceira parte, estabeleço aproximações entre a guerra e as estratégias de identificação, que utilizam o elemento étnico como fomentador da alteridade.
Palavras-chave:
Guerra; Identidade; Grécia Clássica; Primeira Guerra Mundial; Arte; Tragédia Grega.

Abstract: This essay is a pastiche. It is a set of reflexions that I have been making during my master, PhD, up to a symposium that occurred in the Naval Museum of Rio de Janeiro, 2014. The paper is divided in three parts: During the first part, I shall analyse broad concerns about the war combats, laying emphasis on the ethnic process of identifications and how these works as a sort of a source power to mobilize people to go to the battlefields. Secondly, I’ll focus on how, in the contemporary world, especially widespread in the German field in the First World War, was built and share an ideology which concerned a kind of ancient hero ethic. I called it as the latency of the heroic. Then, in the final part, I’ll try to argue how the war is a special locus where the strategies of identification are used to differentiate ethnically the actors involved..
Keywords:
War; Identity; Classical Greece; World War One; Art; Greek Tragedy.

 


PRÓXIMO DOSSIÊ
Volume 3, Número 1
Golpes e formas de resistência na Antiguidade

Muitos analisas compartilham o entendimento de que a deposição da presidenta brasileira Dilma Rousseff pode ser entendida como um golpe de Estado. O processo de impeachment, formalmente admitido por Eduardo Cunha (então presidente da Câmara dos Deputados) em 2 de dezembro de 2015, se arrastou por alguns meses e mobilizou inúmeros debates e resistências. Em 31 de agosto de 2016, a votação no Senado aprovou o afastamento de Dilma Rousseff e conduziu o então vice-presidente Michel Temer para a liderança do Executivo.

O conceito de “golpe”, como é de se supor, possui uma vasta história. Ao longo dos últimos séculos, diversas interpretações foram produzidas e inúmeros eventos foram a elas associados. O clássico setecentista Considérations politiques sur les coups d’Estat (1679) de Gabriel Naudé, com forte inspiração maquiaveliana, bem como o célebre 18 Brumário de Luís Bonaparte (1852), de Karl Marx, figuram como exemplos paradigmáticos de obras que ensejaram ricos e importantes estudos sobre o tema. A questão suscita debates para análise de movimentos de ruptura institucional, de tensões políticas exacerbadas, de mudanças de governo abruptas, do uso da força para a ascensão ao poder e mesmo das articulações subterrâneas que levaram grupos que já dispunham de uma parcela do poder a forçar uma sucessão que lhes assegurasse uma fração ainda maior. E, sobretudo, as formas de resistência que tais movimentos estimularam e fizeram vicejar.

Por mais que o conceito de “golpe de Estado” tenha um viés moderno (inclusive, pela concepção de “Estado” a ele associado), diversas pesquisas acerca das sociedades antigas buscam explorar o problema sob a rígida observância das especificidades históricas e seus entendimentos específicos. Há inúmeros trabalhos, por exemplo, a respeito da ação dos oligarcas que, aproveitando o fracasso da expedição à Sicília, promoveram uma ruptura institucional em Atenas na primavera de 411 a.C., utilizando os instrumentos próprios da democracia para derrubá-la. Não menos estimulantes são análises acerca de Roma e dos inúmeros conflitos políticos, formas de enfrentamento e acondicionamentos que gracejaram, principalmente, a partir das ações de Caio Júlio César, passando pelos acordos e láureas do Senado que legitimou o poder político de Augusto, pela ascensão de Trajano e tantos outros. Como um convite para debater uma temática tão premente, a Hélade convida os autores a colaborarem com o dossiê Golpes e formas de resistência na Antiguidade. Em síntese, espera-se contribuições que abordem 1) conflitos políticos na Antiguidade; 2) formas de resistência; 3) rupturas institucionais; 4) usos modernos da política no mundo antigo; 5) reflexões sobre o conceito de golpe e sua pertinência para o estudo das sociedades antigas.

Os interessados poderão enviar suas contribuições até o dia 15 de junho de 2017 para o e-mail: revistahelade@gmail.com.

 

 
 
 
   

NEREIDA - Núcleo de Estudos de Representações e de Imagens da Antiguidade
Campus do Gragoatá - Rua Prof. Marcos Waldemar de Freitas Reis, Bloco O, sala 507
24210-201 - Niterói - RJ
nereida@vm.uff.br